Administração foi parceira em Seminário sobre Resíduos Sólidos

A Administração participou em Januária, nos dias 5 e 6/06 do seminário sobre resíduos sólidos, atividade do projeto Cidadania Ribeirinha, desenvolvido pela Assembleia Legislativa em parceria com as prefeituras de Januária e Pedras de Maria da Cruz. O projeto desenvolve diversas ações para a revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, a redução da pobreza e a proteção do patrimônio cultural são-franciscano.

Várias palestras foram proferidas, tais como “Panorama dos resíduos sólidos no Brasil, Minas Gerais e Norte de Minas – construindo uma agenda compartilhada de responsabilidades”, proferida pelo especialista do Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável, Guilherme Romero Fonseca/INSEA.

“Implementação da Política Nacional dos Resíduos Sólidos no Brasil – desafios e oportunidades para os municípios”. pelo representante do Ministério Público de Minas Gerais/CIMOS, promotor Paulo César Vicente de Lima. Em seguida, Janaelle Cristina Neri Almeida, do INSEA, ministrou sobre “Articulação entre comunidades e o poder público no Norte de Minas para o tratamento dos resíduos sólidos”.

“Coleta seletiva como tecnologia da gestão de resíduos sólidos – a participação cidadã na responsabilidade ambiental”, palestrou a pesquisadora, doutora em engenharia e economia solidária, Jacqueline Rutkowski. A seguir, o representante do Movimento Nacional de Catadores de Recicláveis, MNCR/MG, Gilberto Warley Chagas, falou sobre “Os catadores de materiais recicláveis como parceiros da limpeza urbana” e “Reciclando vidas e gerando oportunidades de trabalho e renda”.

“Resíduos sólidos e restos afetivos – Uma abordagem psicanalítica comprometida com a transformação da realidade”, por Mônica Martins de Godoy Fonseca, psicanalista e Mestre em Analise e Modelagem de Sistemas Ambientais/ UFMG.

“Debatermos sobre Resíduos Sólidos é muito importante, o seminário, além de promover uma reflexão social e política em torno de questões relacionadas ao lixo, busca estimular a cooperação entre prefeituras, comunidades e catadores para a gestão dos resíduos sólidos, como forma de contribuir para a preservação do Rio São Francisco. O manejo inadequado é um problema grave nas cidades ribeirinhas, uma vez que boa parte do lixo que não tem um fim apropriado acaba indo parar na beira do rio”, comentou o Prefeito Sebastião Medeiros.

Ao final das palestras na quinta-feira, houve um estudo de caso sobre “A experiência da COOPERT em Itaúna-MG – Gestão compartilhada na prática (Poder público, sociedade, catadores), apresentado pelo engenheiro de produção/INSEA/UFMG, Marcelo Alves.

Na sexta diversas oficinas preencheram o dia dos participantes, foram elas, Comunicação como ferramenta para fortalecer a educação ambiental e a mobilização social. Promovendo a arte e a mobilização nos programas de educação ambiental e coleta seletiva.  A inclusão dos catadores nos programas de coleta seletiva para gerar trabalho e renda – instrumentos organizativos e Sensibilização para um novo olhar sobre resíduos sólidos, na sua relação com os restos afetivos e psíquicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda a questão abaixo para validar seu comentário * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.